Como funciona o QR Code

Aquelas imagens cheias de polígonos desordenados e quadrados que você vê em outdoors, anúncios, embalagens de produtos,  propagandas e em algumas cidades (como em Nova York, por exemplo) e até mesmo nas ruas, são os chamados QR Codes. Mas, para que eles servem? Como um emaranhado de pequenos pontos pretos e espaços em branco podem ser algum tipo de codificação?

Os Quick Respense Codes (código de resposta rápida) surgiram há muito mais tempo do que você pode imaginar, para ser exato, há mais de 20 anos. Uma empresa do grupo Toyota encontrou uma necessidade de criar códigos que identificariam rápida e facilmente as peças dos carros no momento da montagem, para que não ocorressem enganos durante o processo de produção de automóveis, então, criaram esse sistema e o batizaram de QR Codes, os quais nos dias de hoje, podem ter várias funcionalidades.

QR Code

A funcionalidade mais comum para os códigos que conhecemos hoje, é redirecionamento para uma página na internet, como sites de marcas de produtos, ou promoções. Somente aparelhos podem ler um QR Code? Para ler os códigos você precisa de um Smartphone com câmera; software leitor de QR Code. Estes apps são encontrados nas lojas das respectivas marcas. Para entender como o QR Code funciona é simples, devemos simplesmente entender como ele é lido pelo leitor.

Depois de instalado no aparelho, o leitor deverá ser iniciado, não se assuste pensando que ele é apenas um aplicativo para tirar fotos com seu celular, ele não é, pois reconhece automaticamente os QR Codes assim que a câmera for apontada para um; em seguida, o app pergunta se você deseja ir para a página codificada. Para que o leitor de faça uma leitura correta, vários dos polígonos do código são posicionados de uma forma padrão conforme a versão e capacidade do mesmo. Isso irá ajudar o leitor a saber que o código está de cabeça para baixo ou deitado, eliminando possibilidades de você ser redirecionado a algum conteúdo totalmente diferente do alvo.

Os três quadrados maiores (no caso do QR Code do Tecno Curioso) localizados nas extremidades do código servem para orientar a posição do código, facilitando o leitor a entender quando ele estiver de cabeça para baixo ou de lado, existem também outros tipos de QR Codes que tem dois ou apenas um desses quadrados. Essas partes localizadas nas extremidades dos três quadrados maiores são responsáveis por identificar o formato e a função que o QR Code irá executar. Ou seja, nesses polígonos que é determinado se ele é por letras ou números, e também contém informações sobre o local para que você será redirecionado. Em cima e ao lado dos quadrados maiores temos alguns pequenos conjuntos de polígonos que são responsáveis por identificar qual dos 40 tipos de QR Code que está sendo usado. Entre esses tipos, temos de 21×21 até de 177×177 módulos.

Timing patterns

As timing patterns são chamadas assim por auxiliar o software leitor do QR Code a detectar o posicionamento correto do mesmo, o separando em linhas e colunas de poligonos ao estilo xadrez (ponto sim e ponto não).

Menor que os quadrados das extremidades, mas não menos importante,  este quadrado serve como uma espécie de guia de alinhamento para que o código possa ser lido sem que o leitor se confunda e acabe o lendo de cabeça pra baixo, por exemplo.

O QR Code que usamos como exemplo durante a matéria é do Tecno Curioso! Que tal você testar?

O restante dos polígonos contém informações que são responsáveis por identificar o local que você será redirecionado, e essas informações são obtidas por leituras de pequenos grupos com oito módulos ou bits, os quais chamamos de bytes. Caso o QR Code seja danificado, um sistema de autocorreção que é embutido no próprio código para garantir que o leitor redirecionará quem tentar lê-lo para o local correto. Esse sistema conta com até 4 níveis de potência, porém, quanto maior o nível do poder de correão, menor será a capacidade de armazenamento de dados do QR Code.

Veja os níveis abaixo.

  • Nível L: 7% da capacidade é utilizada pelo sistema de correção.
  • Nível M: 15% da capacidade é utilizada pelo sistema de correção.
  • Nível Q: 25% da capacidade é utilizada pelo sistema de correção.
  • Nível H: 30% da capacidade é utilizada pelo sistema de correção.

Os QR Codes podem não parecer muito atraentes, mas ajudam várias empresas a divulgarem seus produtos e facilitam o desenvolvimento de promoções nos mesmos. Em livros, por exemplo, uma simples leitura pode tornar-se mais dinâmica quando um QR Code te direciona para um vídeo no YouTube onde o capítulo que você está lendo é narrado ou explicado detalhadamente. Ou seja, o QR Code, como foi desde a sua criação, serve para facilitar a vida de quem usá-lo e tornar mais dinâmico o uso de certos produtos.

Gostou da matéria? Quer criar um QR Code só seu, que redirecione quem o ler para algum link de seu domínio? Confira esse artigo onde o site Oficina da Net ensina:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *